Entrevista com a Vate Cabal

Vate Cabal

Publicidade

Dê um clique na publicidade acima ou não utilize o adblock no site da rpa.

Vate Cabal e o Rock feito direto da Baixada Santista para todo o Brasil

A banda Vate Cabal vem fazendo música independente e autoral desde 2003 em São Vicente, Baixada Santista, São Paulo. A banda conta com influências de bandas como Metallica, Black Sabbath, Megadeth, Legião Urbana, Titãs, Engenheiros Do Hawaii entre outras. Com sua temática e letras forte procura fazer um som nítido e trabalhado, tendo como fonte de inspiração também o cinema e a literatura.

Vendo como a Vate Cabal é uma banda que possui material de qualidade e mensagem forte, além de reconhecê-la como uma forte parceira nossa nas redes sociais e demonstrar dar valor as mídias independentes nós resolvemos chamá-los para um bate-papo que rendeu não só mais conhecimento a respeito da banda como aumentou ainda mais a admiração que nós da RPA temos por eles.

A seguir, você confere a conversa que tivemos com o Marcos que assume a guitarra da banda.

Como vocês se conheceram e como decidiram formar a banda?

Nos conhecemos por meio de um amigo do amigo que em comum tocavam algum instrumento, ou seja, violão, guitarra e/ou baixo. Aí sempre tem alguém querendo formar uma banda e assim fomos nos conhecendo e se juntando no decorrer do tempo.

Por que a escolha pelo nome Vate Cabal?

Bom, existe uma grande dificuldade real em se encontrar um nome para um banda que seja legal e que já não exista. Quem esta procurando nome para sua banda sabe muito bem do que eu estou falando. Parece que todos os nomes possíveis legais de bandas já foram usados, já existe! Lembro-me que naquela eventualidade todos foram incumbidos de encontrar um nome para a banda, trazer sugestões e quando a gente se encontrava para ensaiar mostrava os possíveis nomes, cada um mais ruim que o outro (risos) e nada agradava ninguém!  Então, puxei a responsabilidade pra mim e fui na fonte, o dicionário Aurélio. Eu queria alguma coisa que nunca tivesse sido usada antes por banda nenhuma e que soasse legal ao ser pronunciada. Vasculhei o Aurélio por dias a fio e quando já estava quase desistindo me deparei com a palavra VATE que tem o mesmo radical de Vaticano e quer dizer a casa dos profetas. Já gostei, mas ainda era pouco (risos) queria mais. Vate também quer dizer escriba, tradutor, profeta, poeta, enfim todos aqueles que tem como oficio a palavra, a escrita e o verbo. Vate é um substantivo e achei interessante em ter talvez um adjetivo para combinar com essa palavra forte, enigmática e continuei a busca (risos). Dias depois me deparo com a palavra CABAL que quer dizer verdadeiro, incontestável, sem sombra de dúvidas e etc. É uma palavra também forte e enigmática e não tem nada haver com cabala, cabalístico ou algo assim como muitos pensam. Ela vem do português do Brasil (mais risos). Pronto, levei no próximo ensaio da banda e todos gostaram, abraçaram a idéia.

Por suas letras vemos questionamentos filosóficos, críticas à comportamentos e padrões da psicologia humana, além de críticas sociais. Qual a visão da banda sobre a sociedade brasileira?

Nossa! Bom, vou tentar responder de forma coesa, sem ser maçante nem me alongar muito porque convenhamos não é uma pergunta fácil de responder. A sociedade brasileira é composta na sua base da pirâmide por minorias sociais e como toda minoria, seja ela qual for, vive sofrendo de um modo ou de outro pelos os que estão na cúpula da pirâmide, sofrendo de algum descaso, abuso, humilhação, abandono, negligência e etc. Parece que poucos querem ainda falar disso ou ninguém quer falar mais disso e se não falar, protestar e denunciar nada vai mudar, nada vai melhorar. Se falando, gritando, berrando as coisas já não melhoram imagina calado ou fazendo vista grossa para as nossas mazelas sócio-político econômicas.  A sociedade brasileira esta carente de bandas de protesto que muita vezes fale, grite, berre, coisas o que o cidadão comum não consegue no seu dia a dia. Um protesto ajuda a aliviar a dor, o sofrimento e a abrir os olhos da sociedade que muitas vezes esta submissa e sofrendo calada em um canto qualquer desse país. A sociedade brasileira ainda tem muito o que conquistar, tem muitos motivos pra lutar e quem canta seus males espantam, não é? (risos). Seria a Vate Cabal o porta voz desse povo oprimido e sofredor chamada sociedade brasileira? Bom, seria muita pretensão nossa se intitular assim, mas que essa sociedade, essas minorias estão precisando de porta vozes isso estão. Ufa, acho que respondi, ou não? (risos)

Em seu trabalho é perceptível uma fala contra o racismo, na fanpage no facebook quem os acompanha já viu que há uma letra mais direta sobre o assunto vindo por aí. Vocês podem falar um pouco da aura em torno dessa canção inédita?

Bom, acho que você se refere a nossa musica chamada SERVOS DA GLEBA. Essa musica ainda não gravamos e é inédita mesmo, mas posso falar sobre a áura dela sim, um pouco… Essa musica possui um linguajar complicado, até antigo e faz uma analogia do escravo de outrora negro com o escravo de hoje, tanto branco como negro, de carteira assinada e tido como protegido por normas e regras da CLT. A musica sinaliza que a senzala do senhor de escravo hoje em dia virou favela e aquele escravo que antes tinha a pele negra hoje ele tem a tonalidade de pele das mais variadas possíveis. Hoje o escravo tem carteira assinada, vale transporte, vale alimentação, vale refeição e quando tem! Já percebera a semelhança de um ônibus e/ou trem lotado de trabalhadores apinhados, espremidos com os navios negreiros? Muitos vão discordar de mim, muito vão achar muito dramático a comparação, mas arte também é drama, ou não? Nessa musica uso palavras que caíram em desusos como BANZO, QUIÃO e o próprio titulo da música já é uma expressão em desuso (risos). Quero muito um dia gravar essa musica, gosto muito dela, me espantou a rapidez que escrevi a letra, até hoje me assusto com ela. (risos)

Como acontece o processo de composição das músicas?

Geralmente eu pego o violão ou a guitarra saio compondo e depois mostro para os outros o rascunho e partimos para o trabalho de engrossar o caldo. Geralmente sou eu que componho, não que os outros não estejam livres para fazer o mesmo, mas sou eu quem vai compondo como doido (risos). Vale tudo, um sentimento, uma raiva, uma tristeza, um pensamento, qualquer estalo, qualquer fagulha pode ser o ponta pé inicial para sair uma estrofe e/ou um refrão ai já era levo pro ensaio e vamos aprimorando. (risos).

Como nasceu a sonoridade da Vate Cabal?

Não sei explicar (risos). Bom, acho que nasce da vontade de gostar de tocar pesado, porém nítido com cada instrumento aparecendo e se expressando e também de expressar nossas influencias. O som que a Vate faz tem um pouco de heavy metal, um pouco de pop, um pouco de psicodelia, um pouco de progressivo, mas no entanto não somos cem por cento nem uma dessas vertentes. Para o metal soamos muito leve, para o pop soamos muito pesado, então a sonoridade da Vate vaga em um limbo sonoro (risos). Acho que nasceu assim.

Nos tempos em que vivemos é quase impossível não acessar a internet, escutar e baixar música. Qual a posição da banda sobre esse assunto?

A melhor possível. Disponibilizamos nossas musicas para baixar e escutarem, sem problema algum, e acho muito legal essa troca com o publico. Somos uma banda independente e autoral e não temos o rabo preso com nenhuma gravadora, selo ou algo assim. Tiramos do nosso próprio bolso para fazer as coisas, então ainda podemos nos dar o luxo de disponibilizar nosso trabalho de graça para quem quiser.

Quais os planos para o segundo semestre de 2016?

Humm… Bom, gravar um clipe para a BRAVO MUNDO NOVO e tocar por aí o máximo que pudermos (risos). Ah, e grava mais musicas para fecharmos nossa demo que ainda não temos.

Para finalizar, gostaríamos de parabenizá-los pelo trabalho e pedir que vocês deixassem um alô pra todos que curtem seu som, aos ouvintes da #RPAlternativo e aos que acompanham a cena underground.

Quero agradecer a todos e a você Cristina e ao Jonas que foi o meu primeiro contato ai na rádio e prontamente já me atendeu, isso já faz um tempo. Obrigado mesmo a todos pela oportunidade e carinho, é muito gratificante ter nosso trabalho tocando tão longe a internet proporciona esse tipo de coisa. Isso quer dizer que nosso trabalho, nossas idéias estão ecoando pelo Brasil isso é muito gratificante. É uma honra e um prazer tocar na grade de programação da Rádio Ponto Alternativo. O trabalho de vocês é muito importante, vocês dão espaço a muitas bandas independentes e isso ajuda muito, o trabalho de vocês valorizam, prestigiam bandas desconhecidas da cena underground e isso é fantástico. Estão de parabéns pela iniciativa e pelo trabalho. Um forte abraço e muito rock and roll pra todos.

Aprecie mais da Vate Cabal por meio da  fanpage da banda que você poderá encontrar aqui e do blog onde você poderá encontrar noticias atualizadas aqui.

A Rádio Ponto Alternativo indica

Diego Curumim, CO-Fundador da Rádio Ponto Alternativo, curto bandas de Punk em geral, a ideia é indicar uns sons que quase ninguém conhece..


Rodapé