Lucrar da música independente | 3 Razões

Lucrar da música independente

Desejar lucrar da música independente é só a capa do livro, não o conteúdo.

Lucrar da música independente é a regra? Esse artigo não tem como objetivo cagar regras e você pode continuar tocando aos fins de semanas por puro prazer porque não há problema considerar a música como uma grande diversão, problemão vai ser quando não sentir mais isso.

Além de diversão tem músicos que consideram que devem ser encarados como os profissionais que são e que devem ser remunerados pelo que fazem. Para quem se encontra aqui separei três razões que podem ajudar.

Isso não quer dizer que ao fim do artigo você vai saber como lucrar da música independente do dia pra noite, mas espero que seja uma boa leitura para iniciar o caminho.

 

Razão # 1 – Saiba apresentar seu trabalho na Web

 

Se você quer ser conhecido precisa ser facilmente achado, por isso faça sua música estar nas principais plataformas de streaming. Além de disponibilizar seu som, aprenda a utilizar as ferramentas que dizem quem é seu público e a partir dessa informação fale com ele.

Nas redes sociais lembre-se de buscar fortalecer o canal oficial da sua banda e não os perfis individuais dos músicos que a formam porque quem pesquisar o nome da banda vai encontrar o canal oficial e não os perfis individuais e se não tiver lá conteúdo atualizado você perderá credibilidade e um possível fã.

Na era da internet tudo ocorre muito rápido e sua banda precisa estar sempre interagindo e pensando na melhor maneira de fazer o público se aproximar. Veja, não se trata de você se aproximar do publico.

Ah e claro, se essa não é sua praia faça parcerias com quem pode ajudar.

 

Razão # 2 – Ouça criticas, ensaie e rode a cidade tocando seu som

 

#alertadepolêmica Recentemente encontrei na web um texto muito duro, nele o autor diz que as bandas independentes não atingem publico porque na maioria das vezes não são boas e eu discordo totalmente disso, porem como tudo tem um lado bom e um lado ruim, esse tal texto cheio de absurdos faz a gente refletir sobre o papel do amigo da banda, o cara que sempre diz que o som tá massa e que nunca sugere criticas.

Temos que nos cercar de gente que valorize nosso trabalho, não é? Eu acredito nisso, mas por mais assustador que seja ver alguém falar sobre nossa performance é indispensável ouvir criticas, pois elas nos desafiam a superar a nós mesmos.

Vamos estimular feedbacks internos entre os integrantes e externos para saber se a sintonia da banda está sendo captada pelo publico. Além disso, ensaiem bastante, saiam tocando por toda parte da cidade, afinal a cada ensaio e a cada apresentação você sai diferente com um acrescimento de acertos e confiança.

Não tem como uma banda fazer um som impactante sem fazer ensaios regulares

Razão # 3 – Invista, mas vá com calma

Cara, você toca muito e está mandando vê na web, que tal ter produtos para instigar seu público, não é? Sim, mas vá com calma.

Vivemos numa época onde o pensamento é reduzir riscos na hora de investir dinheiro, então não feche produções numerosas de camisas, bonês ou cd’s da sua banda se existir possibilidade de você ter que ficar vendendo o ano inteiro o mesmo produto.

Melhor seria fazer produções pequenas com variadas opções, não acha? A mentalidade de hoje é contar com dinheiro certo e com peças cada vez mais exclusivas.

Veja os financiamentos coletivos, talvez seja uma boa adaptar a ideia deles e fazer campanhas em grupos de admiradores da sua banda para arrecadar dinheiro e contar com vendas fechadas antes da produção dos produtos.

Se as opções forem variadas a chance de venda é maior.

O negócio é tão louco gente, que até uns anos atrás o sonho de qualquer músico era ser contratado por uma gravadora e hoje já tem artista se negando a assinar contrato com gravadora porque descobriu no financiamento coletivo uma forma de sustentabilidade e liberdade artística, isto é, descobriu como lucrar da música independente. Fuck yeah!


 

Bem, a ideia desse texto nasceu da minha experiência conduzindo a roda de conversa no evento Bomja Rocks que ocorreu no último sábado no CCBJ. Lá foi gerado um diálogo bem positivo a respeito de marketing digital que também tinha o intuito pela conscientização a respeito de como lucrar da música independente.

Sou muito grata por ter participado e se você não sabe o que é a iniciativa Bomja Rocks vem aqui.

Ficou alguma dúvida ou quer falar o que achou do texto? Só deixar aí nos comentários.

Sucesso e até a próxima. \,,/

 

 


Publicidade

Dê um clique na publicidade acima ou não utilize o adblock no site da rpa.

Garota do Rock, estudante de Administração e uma bairrista apaixonada pelo seu Bom Jardim das artes. Uma riot girl com horror a rótulos, conforme demostra desde 2013 no blog Feriados de Mim. Escreve para explorar questões humanas e para não desaparecer.

Publicidade

Dê um clique na publicidade acima ou não utilize o adblock no site da rpa.


Rodapé